Spore e o fanatismo.

setembro, 2008

A EA Games lançou a algumas semanas o jogo Spore. Criado pelo gênio dos games Will Wright, a proposta em Spore é simular o desenvolvimento da vida na Terra. você começa com uma criatura unicelular, vai se desenvolvendo e evoluindo até finalmente sair do mar, iniciar uma comunidade tribal e por aí vai, até à conquista do espaço.

Eu já venho brincando com o Spore a alguns dias e confirmo, o jogo e bastante viciante e divertido. Eu gostaria de dizer que “curiosamente o jogo levantou algumasquestões polêmicas”, não fosse o caso de eu já ter antecipado o problema. Qualquer coisa que esbarre em questões polêmicas como a teoria evolutiva, gera posições extremistas de ambos os lados.

Spore. Clique para ampliar.

Spore. Clique para ampliar.

O Carlos e o Rafael já escreveram ótimos textos sobre o tema em seus blogs no Lablogatórios. Aparentemente alguns criacionistas reclamam que o jogo segue uma linha evolutiva. Os evolucionistas reclamam que o jogo segue uma linha de Design Inteligente. Eu reclamo dizendo que este povo leva a vida muito a sério.

Curiosamente em 1993, quando os video-games ainda estavam nos 16bits, a Enix lançou um jogo para Super-Nintendo chamado “E.V.O – Search for Eden”. A temática era basicamente a mesma do Spore. Você começa jogando com um ser bastante simples e que vive na água, e no decorrer do jogo vai evoluindo em criaturas cada vez mais complexas. Não me lembro de na época isso ter gerado qualquer tipo de “buzz” ou opiniões inflamadas. Talvez o sub-título do jogo “Search for Eden” tenha conseguido unir o “melhor de dois mundos” evitando problemas.

E.V.O - Search for Eden. Clique para ampliar.

E.V.O - Search for Eden. Clique para ampliar.

Na fúria de defender suas crenças e opiniões as pessoas esquecem um dado importante, Spore é só um jogo. E nem de longe ele foi feito pra tomar “partido” de qualquer discussão. O objetivo foi sempre um, o de divertir. E isso ele faz com maestria.

O Rafael ainda levantou a bola de se é possível usar o jogo para ensinar evolução. Eu acredito que neste ponto, tanto os evolucionistas quanto os criacionistas estão bem servidos. Um professor de evolução inventivo e com a cabeça no lugar pode ilustrar a seleção natural tranquilamente com o jogo. Da mesma forma, um criacionista tem todas as ferramentas pra defender seu ponto de vista. Isto, é claro, se ele não for um fundamentalista.

Em todo caso, se você pretende passar boas horas se divertindo, deixe todas estas discussões de lado e jogue Spore.