A teoria da evolução NÃO EXISTE.

setembro, 2007

Não. Este que vos escreve não esta fazendo uso de entorpecentes. Nem ficou louco ou deixou de acreditar na ciência. Mas é fato, a teoria da evolução não existe e eu vou explicar o motivo.

A primeira coisa que devemos entender é que em biologia, a palavra evolução não quer dizer “melhoria” ou “progresso”. Na verdade, o Sr. Theodosius Dobzhansky definiu muito bem evolução como a mudança de frequência alélica dentro de um pool gênico. O que isso quer dizer exatamente?

Hoje é bem conhecido que durante a divisão celular o DNA contido na célula é copiado e que este processo nem sempre é exato. Na verdade, é comum que ocorram mudanças na sequência de DNA, conhecida como frequência alélica. Quando esta mudança ocorre em indivíduos já completos, esse processo as vezes resulta em doenças como câncer. No entanto, quando esta mudança na frequência alélica ocorre nas células sexuais, podem provocar a modificação de características de alguns genes. Muitas vezes tais modificações acabam por inviabilizar a célula, mas também não são raras as vezes em que essa mudança produz efeitos benéficos (nem sempre imediatos).

Tal fenômeno já foi devidamente documentado e pode ser observado com certa frequência de modo que podemos dizer que é um fato. A evolução, enquanto mudança de frequência alélica, é um fato observável portanto. O que realmente se questiona a respeito da evolução é a forma como ela ocorre. Qual o mecanismo que faz com que as modificações na frequência alélica se acumulem e sejam selecionados em detrimento de outros? Neste sentido já houve na história uma série de teorias. Entre todas as teorias propostas, a seleção natural de Darwin é certamente aquela que melhor explica os mecanismo da evolução.

O termo “teoria da evolução” acabou sendo usado pelo senso-comum como forma de se referir a toda idéia darwinista/neodarwinista, ignorando completamente o verdadeiro conceito de evolução (que insisto em frisar, é um fato observável) e causando uma série de enganos a respeito do tema.

Vale lembrar que mesmo os defensores do Design Inteligente reconhecem a evolução como um fato, muito embora duvidem que seus efeitos possam resultar no surgimento de novas espécies. O neodarwinismo defende, pelo contrário, que a evolução pode sim ser o motor do surgimento de novas espécies, servindo como uma explicação elegante da diversidade de de seres vivos no planeta.

Como diria Dobzhansky: “Nada na biologia faz sentido senão à luz da evolução”.